Mirando eficiência, HGIS revisa prescrições médicas no Pronto Atendimento

O HGIS fez uma mudança no prontuário eletrônico -TASY nas sugestões de prescrição de medicamentos do setor Pronto Atendimento. Aplicando o método lean e visando aumentar a eficiência, o hospital alterou esse “cardápio”, dando preferência para medicamentos por via oral e intramuscular.

No último ano, o HGIS viu crescer o número de pacientes que deram entrada no hospital, chegando a uma média mensal de quase 15 mil pessoas atendidas, por isso, foi de extrema importância para a instituição pensar em uma forma de reduzir o tempo de permanência no PA, sem jamais perder a qualidade.

“Percebemos que havia uma alta demanda para medicação endovenosa, fazendo com que o atendimento passasse de 1h de duração apenas na sala de medicação. Após reunião de revisão da rotina de prescrição no PA com gestores e integrantes do corpo clínico, reformulamos o cardápio, mantendo o muitas vezes o mesmo medicamento, mas mudando a via de administração e vimos esse tempo diminuir”, explica a coordenadora de Práticas Médicas, Dr.ª Lucy Nagm.

Já nos primeiros 20 dias de implantação do projeto, houve uma queda de 33% na prescrição e administração de medicamentos endovenosos. Foi observada a substituição desses medicamentos por equivalentes que poderiam ser administrados via oral ou intramuscular. Por conta do tempo necessário para a aplicação de soro, após a troca da via desses medicamentos, gerou uma redução na fila de espera da recepção do Pronto Atendimento, na espera na sala de medicação e um retorno mais rápido para reavaliação médica, tendo um impacto global na redução do tempo de permanência do paciente no PA . 

“Isso otimiza o tempo da enfermagem e economiza insumos, sem perder a qualidade ou segurança no atendimento, algo que nos é tão caro”, diz Nagm. Essa redução é sentida, inclusive, pela própria equipe assistencial.

“É muito visível a diferença: se antes era comum que os pacientes levassem mais de 1h tomando 100 ml de medicação endovenosa, agora a gente finaliza o atendimento em poucos minutos. Isso melhora inclusive nossa dinâmica de trabalho, nos permitindo prestar um atendimento de qualidade”, declara a enfermeira do Pronto Atendimento, Michele Maya.

HGIS treina profissionais de Juquitiba para inserção de DIU

Cumprindo com seu compromisso com a população, o HGIS realizou um treinamento para profissionais da assistência básica de saúde na cidade de Juquitiba. O hospital é referência para o município, assim como para Itapecerica da Serra, São Lourenço da Serra e Embu-Guaçu.

O treinamento de inserção de dispositivo intrauterino (DIU) foi uma solicitação das próprias unidades de saúde de Juquitiba. A equipe de Ginecologia e Obstetrícia do hospital se deslocou até Juquitiba, para treinar profissionais das unidades de saúde do Centro, de Barnabés e do Jardim das Palmeiras.

“A capacitação de profissionais de saúde da atenção básica permite trazer a contracepção de longa duração de forma muito ágil para as mulheres, evitando-se a gravidez indesejada em uma lista de espera que pode se prolongar”, explica o médico chefe do Centro de Parto Normal Dr. Rômulo Negrini. “Estes profissionais foram capacitados não apenas para colocação do DIU, mas para diagnosticar e resolver possíveis complicações”, relata.

 

Foram realizadas aulas teóricas e práticas, em um total de 4h. A equipe se dividiu entre as três unidades, apoiando atendimentos reais feitos pelos profissionais recém-capacitados. Quase 40 pacientes que já fazem acompanhamento ginecológico nessas UBS fizeram a inserção de DIU na ocasião. 

O DIU é um dos métodos contraceptivos disponíveis gratuitamente no Brasil, através do SUS. O método tem eficácia superior a 99%.

“Muitas vezes a população só tem acesso à laqueadura, que é um método praticamente irreversível e cirúrgico de contracepção, com todas as complicações que se associam às cirurgias. O DIU de cobre, usado neste caso, é totalmente reversível, a qualquer momento, além de ser fácil de colocar, com duração de até 10 anos”, pontua Negrini.

HGIS é avaliado para manutenção da sua acreditação com excelência pela ONA

O Hospital Geral de Itapecerica da Serra recebeu sinal verde para a manutenção da sua acreditação com excelência pela Organização Nacional de Acreditação (ONA). Após três dias de avaliação, os auditores da Fundação Carlos Vanzolini elaboraram um relatório positivo sobre o hospital, destacando que a “instituição apresenta maturidade de gestão e robustez na assistência. Demonstrou proatividade gerenciando processos e prestando assistência a população durante o período da pandemia da COVID-19 sem interrupção de atendimento ambulatorial aos casos de maior gravidade impactando positivamente nos desfechos das patologias. Planos de ação emergenciais foram implantados e monitorados garantindo segurança aos colaboradores, pacientes e familiares”.

Para a gerente de Qualidade do HGIS, Lisiane Gaspary, a avaliação deste ano foi um grande desafio, tanto tecnológico quanto de conteúdo. “Focamos principalmente nos impactos da COVID-19 em cada processo, considerando as ações tomadas no início da pandemia e para a retomada”, explica.

Esta foi a primeira vez que o processo de avaliação aconteceu de forma remota. As apresentações também sofreram mudanças: elas foram elaboradas por processo e não mais por setor, como estabelecido pelo próprio manual da ONA.

 

“Foi gratificante assistir o trabalho desempenhado pelas equipes, com cada gestor apresentando com orgulho os seus resultados”, finaliza Gaspary.

HGIS passa por semana de avaliação da ONA

O HGIS recebeu nesta semana o grupo de auditores da Fundação Carlos Vanzolini, para avaliação de manutenção da acreditação com excelência pela ONA (Organização Nacional de Acreditação). Este ano, porém, por conta da pandemia de coronavírus, todas as reuniões aconteceram virtualmente.

“Em um ano tão desafiador, este foi um importante momento para consolidar e apresentar os resultados do trabalho colaborativo de um time que se superou e se fortaleceu a cada dia”, afirma a gerente executiva do HGIS, Dr.ª Najara Maria Procópio Andrade. “A manutenção da acreditação com a excelência ONA reforça o nosso compromisso com a excelência em tempos de crise e reforça a nossa capacidade de adaptação e transformação”, explica.

A avaliação aconteceu entre os dias 11 e 13 de novembro. Equipes se reuniram em videochamada com os auditores, explicando os processos e quais foram seus principais desafios no último ano. 

“Propósito, coragem, resiliência, força e união foram atributos essenciais para os resultados alcançados. Uma missão nos foi dada e uma importante batalha foi vencida. Com orgulho e muito aprendizado acumulado mostramos a força da nossa equipe e do SUS“, finaliza Dr.ª Najara.

Parabéns a todos os colaboradores pelos excelentes resultados! 

#NossaForçaVemDaUnião

Novembro Azul: atitude é se cuidar!

No Brasil, o câncer de próstata é o segundo tipo mais frequente nos homens, atrás apenas do câncer de pele não melanoma. Segundo o Instituto Nacional de Câncer, a estimativa para 2020 é de mais de 65 mil diagnósticos de novos casos de câncer de próstata.

Quando descoberta precocemente, a doença tem 90% de chances de cura. Para alguns homens, as chances de desenvolver câncer de próstata são maiores: histórico familiar de câncer de próstata (pai, irmão e tio) e obesidade são fatores complicadores. Além disso, homens negros também sofrem maior incidência deste tipo de câncer.

Mesmo na ausência de sintomas, homens a partir dos 45 anos (com fatores de risco) ou 50 anos (sem estes fatores), devem ir ao urologista para iniciar acompanhamento preventivo periódico.

Ajude a mudar as estatísticas, vá ao urologista!