HGIS na Semana Mundial de Aleitamento Materno 2021

A campanha global para conscientizar e estimular ações relacionadas ao aleitamento materno é celebrada todos os anos no início de agosto, desde 1992. Por isso, como símbolo dessa luta, temos o Agosto Dourado.

Trabalhando com o tema mundial “Proteger a amamentação: Uma responsabilidade de todos”, o Seconci-SP OSS preparou uma programação especial para a semana, entre os dias 02 e 06/08, envolvendo todas as unidades hospitalares sob sua gestão.

Ana Maria de Castro, Supervisora de Enfermagem da Neonatologia do HGIS, foi a palestrante  responsável primeiro dia de webinar, com o tema “A experiência do ambulatório de amamentação para o apoio ao aleitamento materno”.

Com o estímulo à amamentação e a doação de leite desde 2000, Castro apresentou os dados e a maneira com que o HGIS fez – e faz – o seu papel nesta rede de apoio. Como curiosidade, mencionou o fato de que a 1ª paciente do Hospital foi uma gestante em trabalho de parto.

 “O ambulatório faz interface com o pré-natal de alto risco, com as Unidades de Internação e com o Banco de Leite Humano”, por sua vez, segue uma série de critérios e processos para atender com qualidade cada mãe doadora, lactantes e lactentes.

O HGIS conta com 20 mães doadoras de Leite Humano em média por mês, permitindo o benefício para, no mínimo, 20 bebês todos os meses. No primeiro semestre de 2021, o Hospital Geral de Itapecerica da Serra recebeu cerca de 137 litros de Leite, beneficiando 112 crianças.

Para dar sequência à SMAM, o HGIS preparou ações que envolvem desde os colaboradores até as mães doadoras. Para as mães doadoras de leite humano, foram entregues certificados junto com bombons dourados em forma de agradecimento. E para os colaboradores um QUIZ testou os conhecimentos sobre o tema e teve 157 participações só na primeira semana de agosto.

A SMAM chegou ao fim, mas todo o mês de agosto segue dourado e por isso o QUIZ segue disponível na intranet e por QRCode disponíveis em cartazes nos murais. Se você ainda não fez, corre lá e participe! Seja você também parte da rede de apoio ao aleitamento materno!

HGIS promove treinamento de boas práticas no tratamento de ferida

O Hospital Geral de Itapecerica da Serra realizou na última semana de julho o treinamento de “Boas práticas no tratamento de feridas”, para os profissionais de saúde da cidade.

Esse treinamento é ministrado anualmente para os funcionários do HGIS, mas, para os profissionais da cidade foi a primeira vez, reforçando o compromisso do HGIS com a articulação em rede, um dos seus objetivos estratégicos.

Taisi Feitosa, enfermeira de educação continuada do HGIS e responsável pelo treinamento, reitera que “ao capacitar os colaboradores do município nesse procedimento, garantimos a mesma qualidade que a gente já faz aqui no Hospital”.

O curso foi um período de intensa produção de conhecimentos sobre o tema, em que os principais assuntos abordados foram: o que é uma ferida, como avalia-la, qual o processo de cicatrização (e se está sendo de forma satisfatória), qual é o tipo de cobertura ideal para cobrir a ferida e como aplicar a Bota de Unna.

No total, foram 45 inscrições e um público engajado no assunto, com diversas trocas de experiências entre a equipe de enfermagem, auxiliares, socorristas, técnicos e médicos.

A participante do primeiro dia, Regina Cecília da Silva Oliveira, auxiliar de enfermagem da UBS Jacira, comentou sua opinião sobre o treinamento “Amei, nunca tinha feito esse curso, a ministrante excelente, eloquente, dinâmica, objetiva, simplesmente amei”.

Para complementar, Jaqueline de Oliveira, técnica de enfermagem do SAMU de Itapecerica da Serra, relatou sua experiência com a capacitação do dia 28/07 “O curso foi bem ministrado pela educação continuada, esclarecedor e bom conteúdo. Contribuição para o aprendizado e atualização de conhecimento de todos”.

HGIS realiza simulado de incêndio

HGIS realiza simulado de incêndio

Nos dias 26 de maio e 16 de junho realizamos o simulado de combate a incêndio onde tivemos a presença de 28 colaboradores. Seguindo as restrições de distanciamento social para evitar a disseminação do novo corona vírus – COVID- 19, foi adotado o método de planta, que consiste na projeção do layout da planta baixa do setor e assim são realizadas perguntas para os participantes sobre ações a serem realizadas em uma situação de incêndio.

O setor escolhido foi a Farmácia Central, de acordo com o cronograma do PLA.0002 – Plano de Segurança contra incêndio. O treinamento contou com a participação de todos os colaboradores presentes realizando a fixação dos adesivos com os símbolos dos equipamentos de combate a incêndio, rota de fuga, saída de emergência e ponto de encontro da brigada quando questionados sobre as ações e procedimentos.

Com esse método de treinamento foi possível verificar o conhecimento dos participantes e identificar as dúvidas mais frequentes. Com a participação de todos do setor, constatamos a colaboração entre o grupo, como se espera em um evento real, já que a divisão de tarefas e primordial para o sucesso do combate e abandono. Alguns colaboradores que não são brigadistas apresentaram dúvidas sobre a localização dos equipamentos de combate a incêndio, no entanto, com o auxílio dos demais membros do setor, eles sentiam-se mais seguros ao responder e fixar os adesivos.

“Incêndios acontecem com grande frequência em estabelecimentos assistenciais de saúde, independentemente das proporções ou causas, por isso os treinamentos de combate a incêndio são de extrema importância, mesmo neste formato de projeção de planta ou no método tradicional, o importante é orientar e praticar os conhecimentos e ações de todos os colaboradores”, reforçou o Técnico de Segurança do Trabalho, Eder de Jesus.

SIPAT 2021 e Abril Verde para saúde e segurança no trabalho

SIPAT 2021 e Abril Verde para saúde e segurança no trabalho

O HGIS mais uma vez realizou as atividades da SIPAT no mês de Abril, mês da segurança e saúde do trabalhador, conhecido como Abril Verde. Para contemplar todas as equipes e turnos, as atividades foram divididas ao longo do mês.

· Na 1ª semana, foi realizada a ginástica laboral nas áreas, pela equipe da Fisioterapia. Essa prática favorece o fortalecimento muscular, reduz a fadiga e o estresse, melhora a postura, dá estímulo para iniciar outras atividades físicas, sensação de bem-estar, entre outros benefícios.

· Já na 2ª semana, tivemos um dinâmica desenvolvida em parceria com a equipe do SCIH para reforçar a segurança e a importância da paramentação e desparamentação correta durante o atendimento de pacientes com suspeita ou confirmação de COVID-19.

· Na 3ª semana foi a vez de falarmos sobre a segurança das instalações. Por essa razão, o SESMT realizou o treinamento sobre os planos de combate a incêndio e contingência de abandono. Para termos sucesso durante eventos não planejados, como o incêndio é fundamental termos uma equipe bem treinada e preparada.

· E na última semana do mês, realizamos atividade abordando as “7 Habilidades de Ouro”, focando na redução de acidentes e um ambiente de trabalho mais saudável. Ao construirmos uma cultura forte de prevenção estas causas podem ser eliminadas e os acidentes e danos relacionados ao trabalho e às doenças ocupacionais podem ser prevenidos.

“Tivemos uma alta adesão de todos os colaboradores e isso demonstra o interesse de todos na manutenção de um ambiente mais seguro e saudável”, comentou a engenheira de Segurança do Trabalho – SESMT, Renata Correia Gaspar Polo.

Mirando eficiência, HGIS revisa prescrições médicas no Pronto Atendimento

O HGIS fez uma mudança no prontuário eletrônico -TASY nas sugestões de prescrição de medicamentos do setor Pronto Atendimento. Aplicando o método lean e visando aumentar a eficiência, o hospital alterou esse “cardápio”, dando preferência para medicamentos por via oral e intramuscular.

No último ano, o HGIS viu crescer o número de pacientes que deram entrada no hospital, chegando a uma média mensal de quase 15 mil pessoas atendidas, por isso, foi de extrema importância para a instituição pensar em uma forma de reduzir o tempo de permanência no PA, sem jamais perder a qualidade.

“Percebemos que havia uma alta demanda para medicação endovenosa, fazendo com que o atendimento passasse de 1h de duração apenas na sala de medicação. Após reunião de revisão da rotina de prescrição no PA com gestores e integrantes do corpo clínico, reformulamos o cardápio, mantendo o muitas vezes o mesmo medicamento, mas mudando a via de administração e vimos esse tempo diminuir”, explica a coordenadora de Práticas Médicas, Dr.ª Lucy Nagm.

Já nos primeiros 20 dias de implantação do projeto, houve uma queda de 33% na prescrição e administração de medicamentos endovenosos. Foi observada a substituição desses medicamentos por equivalentes que poderiam ser administrados via oral ou intramuscular. Por conta do tempo necessário para a aplicação de soro, após a troca da via desses medicamentos, gerou uma redução na fila de espera da recepção do Pronto Atendimento, na espera na sala de medicação e um retorno mais rápido para reavaliação médica, tendo um impacto global na redução do tempo de permanência do paciente no PA . 

“Isso otimiza o tempo da enfermagem e economiza insumos, sem perder a qualidade ou segurança no atendimento, algo que nos é tão caro”, diz Nagm. Essa redução é sentida, inclusive, pela própria equipe assistencial.

“É muito visível a diferença: se antes era comum que os pacientes levassem mais de 1h tomando 100 ml de medicação endovenosa, agora a gente finaliza o atendimento em poucos minutos. Isso melhora inclusive nossa dinâmica de trabalho, nos permitindo prestar um atendimento de qualidade”, declara a enfermeira do Pronto Atendimento, Michele Maya.

HGIS treina profissionais de Juquitiba para inserção de DIU

Cumprindo com seu compromisso com a população, o HGIS realizou um treinamento para profissionais da assistência básica de saúde na cidade de Juquitiba. O hospital é referência para o município, assim como para Itapecerica da Serra, São Lourenço da Serra e Embu-Guaçu.

O treinamento de inserção de dispositivo intrauterino (DIU) foi uma solicitação das próprias unidades de saúde de Juquitiba. A equipe de Ginecologia e Obstetrícia do hospital se deslocou até Juquitiba, para treinar profissionais das unidades de saúde do Centro, de Barnabés e do Jardim das Palmeiras.

“A capacitação de profissionais de saúde da atenção básica permite trazer a contracepção de longa duração de forma muito ágil para as mulheres, evitando-se a gravidez indesejada em uma lista de espera que pode se prolongar”, explica o médico chefe do Centro de Parto Normal Dr. Rômulo Negrini. “Estes profissionais foram capacitados não apenas para colocação do DIU, mas para diagnosticar e resolver possíveis complicações”, relata.

 

Foram realizadas aulas teóricas e práticas, em um total de 4h. A equipe se dividiu entre as três unidades, apoiando atendimentos reais feitos pelos profissionais recém-capacitados. Quase 40 pacientes que já fazem acompanhamento ginecológico nessas UBS fizeram a inserção de DIU na ocasião. 

O DIU é um dos métodos contraceptivos disponíveis gratuitamente no Brasil, através do SUS. O método tem eficácia superior a 99%.

“Muitas vezes a população só tem acesso à laqueadura, que é um método praticamente irreversível e cirúrgico de contracepção, com todas as complicações que se associam às cirurgias. O DIU de cobre, usado neste caso, é totalmente reversível, a qualquer momento, além de ser fácil de colocar, com duração de até 10 anos”, pontua Negrini.

“A atividade foi realizada com profissionalismo, responsabilidade e humanização. A atividade foi elogiada em todos os campos: para nós, enfermeiros e médicos da atenção básica de Juquitiba, foi um sucesso! As pacientes atendidas neste dia estavam seguras em saber da presença de profissionais tão competentes”, afirma a enfermeira da Educação Permanente Karen R. S. Bigatto.

HGIS é avaliado para manutenção da sua acreditação com excelência pela ONA

O Hospital Geral de Itapecerica da Serra recebeu sinal verde para a manutenção da sua acreditação com excelência pela Organização Nacional de Acreditação (ONA). Após três dias de avaliação, os auditores da Fundação Carlos Vanzolini elaboraram um relatório positivo sobre o hospital, destacando que a “instituição apresenta maturidade de gestão e robustez na assistência. Demonstrou proatividade gerenciando processos e prestando assistência a população durante o período da pandemia da COVID-19 sem interrupção de atendimento ambulatorial aos casos de maior gravidade impactando positivamente nos desfechos das patologias. Planos de ação emergenciais foram implantados e monitorados garantindo segurança aos colaboradores, pacientes e familiares”.

Para a gerente de Qualidade do HGIS, Lisiane Gaspary, a avaliação deste ano foi um grande desafio, tanto tecnológico quanto de conteúdo. “Focamos principalmente nos impactos da COVID-19 em cada processo, considerando as ações tomadas no início da pandemia e para a retomada”, explica.

Esta foi a primeira vez que o processo de avaliação aconteceu de forma remota. As apresentações também sofreram mudanças: elas foram elaboradas por processo e não mais por setor, como estabelecido pelo próprio manual da ONA.

 

“Foi gratificante assistir o trabalho desempenhado pelas equipes, com cada gestor apresentando com orgulho os seus resultados”, finaliza Gaspary.

HGIS passa por semana de avaliação da ONA

O HGIS recebeu nesta semana o grupo de auditores da Fundação Carlos Vanzolini, para avaliação de manutenção da acreditação com excelência pela ONA (Organização Nacional de Acreditação). Este ano, porém, por conta da pandemia de coronavírus, todas as reuniões aconteceram virtualmente.

“Em um ano tão desafiador, este foi um importante momento para consolidar e apresentar os resultados do trabalho colaborativo de um time que se superou e se fortaleceu a cada dia”, afirma a gerente executiva do HGIS, Dr.ª Najara Maria Procópio Andrade. “A manutenção da acreditação com a excelência ONA reforça o nosso compromisso com a excelência em tempos de crise e reforça a nossa capacidade de adaptação e transformação”, explica.

A avaliação aconteceu entre os dias 11 e 13 de novembro. Equipes se reuniram em videochamada com os auditores, explicando os processos e quais foram seus principais desafios no último ano. 

“Propósito, coragem, resiliência, força e união foram atributos essenciais para os resultados alcançados. Uma missão nos foi dada e uma importante batalha foi vencida. Com orgulho e muito aprendizado acumulado mostramos a força da nossa equipe e do SUS“, finaliza Dr.ª Najara.

Parabéns a todos os colaboradores pelos excelentes resultados! 

#NossaForçaVemDaUnião

Novembro Azul: atitude é se cuidar!

No Brasil, o câncer de próstata é o segundo tipo mais frequente nos homens, atrás apenas do câncer de pele não melanoma. Segundo o Instituto Nacional de Câncer, a estimativa para 2020 é de mais de 65 mil diagnósticos de novos casos de câncer de próstata.

Quando descoberta precocemente, a doença tem 90% de chances de cura. Para alguns homens, as chances de desenvolver câncer de próstata são maiores: histórico familiar de câncer de próstata (pai, irmão e tio) e obesidade são fatores complicadores. Além disso, homens negros também sofrem maior incidência deste tipo de câncer.

Mesmo na ausência de sintomas, homens a partir dos 45 anos (com fatores de risco) ou 50 anos (sem estes fatores), devem ir ao urologista para iniciar acompanhamento preventivo periódico.

Ajude a mudar as estatísticas, vá ao urologista!