Gestão de Risco

A instituição tem como objetivo garantir a efetividade, qualidade e segurança dos processos institucionais, na busca para a promoção de um ambiente seguro. Para tal, gerencia os riscos assistenciais, administrativos, ambientais, de imagem e responsabilidade civil, com foco na prevenção e nos processos, alinhado ao planejamento estratégico da organização.

As principais frentes de atuação da Gestão de Risco são:

a. Eventos e quase eventos adversos
b. Hemovigilância
c. Tecnovigilância
d. Farmacovigilância
e. Prevenção de Infecção Hospitalar
f. Saúde Ocupacional
g. Proteção e Segurança do Ambiente
h. Metas Internacionais de Segurança do Paciente

Metas internacionais de Segurança do Paciente (MISP)

A busca pela plena conformidade na aplicação das MISP é uma prioridade da instituição para a melhoria contínua da Qualidade e Segurança. As diretrizes para cumprimentos das Metas estão descritas em nossas Políticas e a adesão é monitorada por indicadores processos e de resultados.

1- Identificação de Paciente
Esta meta tem como propósito identificar com segurança o indivíduo como sendo a pessoa para quem o serviço ou tratamento é destinado. O processo de identificação utilizado pela Instituição se dá através da pulseira de identificação na qual utilizamos dois parâmetros para realizá-la: nome completo e data de nascimento.

2- Comunicação Efetiva
Uma comunicação eficaz, oportuna, exata, completa e inequívoca resulta em maior segurança para a assistência. Esta meta tem como objetivo promover uma comunicação sem ruídos entre as equipes assistenciais, através do uso de técnicas e ferramentas que propiciam uma comunicação sólida e garantem a continuidade do cuidado.

3- Melhorar a segurança de medicamentos de alta vigilância
Estabelecimento de barreiras de segurança para os medicamentos considerados de alta vigilância, isto é medicamentos potencialmente associados a dano grave se administrado inadvertidamente, estes são sinalizados com a etiqueta vermelha e os medicamentos cujos nomes, embalagens e etiquetas, ou uso clínico são semelhantes e/ou soam parecidos, com potencial risco de erros, com a etiqueta amarela. O processo de dispensação interna desses medicamentos é diferenciado dos demais medicamentos.

4- Segurança em procedimentos cirúrgicos
Garantir o local correto, o procedimento correto e a cirurgia no paciente correto, através na marcação da lateralidade, com a participação do paciente e a realização do Timeout antes da incisão cirúrgica.

5- Reduzir o risco de infecções associadas aos cuidados de saúde 
A higienização das mãos é um procedimento essencial para a prevenção de infecções associadas aos cuidados de saúde. A Instituição segue as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), que considera a necessidade de higienização das mãos, por todos os profissionais de saúde, em cinco momentos diferentes, incluindo antes e depois de qualquer contato com o paciente.

6- Redução de lesões ao paciente decorrentes de queda.
Um protocolo de prevenção de quedas foi instituído e inclui medidas de prevenção gerais e específicas, bem como a identificação de pacientes com alto risco para queda – em função das condições clínicas, diagnóstico, situação ou local.

Contato do Serviço de Vigilância de Risco: Faça contato com a nossa equipe de risco pelo endereço eletrônico – risco@hgis.org.br ou telefone (11) 4668-8988 – ramal 1085

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support